Entre em contato conosco

Home » Blog

Blog

Necrose – Você já ouviu falar?

A necrose ou sofrimento de tecidos é um assunto que deve ser tratado no pré-operatório a título de conhecimento. Sua incidência é baixa, mas existe. Quando ocorre, gera certo transtorno pela necessidade de curativos frequentes e atraso na recuperação, motivo pelo qual sua existência deve sempre ser conhecida ao longo do processo cirúrgico.

O que é a necrose?

A necrose não é uma exclusividade da cirurgia plástica, ou seja, cirurgias de outra espécie também apresentam este risco. Em áreas de descolamento ocorre a interrupção do fluxo de sangue por alguns vasos sanguíneos. No caso das mamoplastias, estes descolamentos servem para reposicionar as mamas, remover tecidos em excesso e colocar os implantes.

Restam, após os descolamentos, outros vasos que serão os responsáveis pela oxigenação e nutrição dos tecidos. Nos casos em que estes vasos sanguíneos remanescentes não conseguem suprir a demanda da pele por oxigênio instala-se o sofrimento dos tecidos. O principal sinal da complicação é a mudança da coloração, em que um tom escurecido vai surgindo aos poucos na área afetada. Este sofrimento pode evoluir para a necrose, na qual crostas escuras substituem estas áreas de sofrimento e, após seu desprendimento, dão lugar a feridas de tamanhos e profundidades diversas.

Por sorte, as menores feridas e mais rasas são as mais comuns. O inconveniente é que são necessários curativos mais frequentes e ocorre naturalmente um atraso na recuperação geral. A grande vantagem é que a medicina dispõe de uma série de curativos modernos e eficazes que fazem com que todas as feridas cicatrizem completamente dentro de um tempo razoável.

Após a cicatrização estar completa pode-se revisar cirurgicamente a cicatriz resultante se for necessário. Nos casos em que as aréolas são afetadas pode surgir com o tempo uma hipopigmentação local, condição que pode ser muito bem corrigida com micropigmentação na região. A necrose é uma ocorrência desagradável, mas que faz parte da especialidade, motivo pelo qual não deve deixar de ser assunto no pré-operatório.

Dr. Guilherme Ribeiro

cirurgião plástico que se dedica à cirurgia plástica há mais de 15 anos, em uma trajetória pautada pela ética, excelência técnica e constante atualização.